Quarta-feira, 28 de Novembro de 2012

Ainda sei como foste campeão em 2010

«O (...)ica bateu no domingo um recorde, porventura mundial, de tempo de jogo em superioridade numérica ao longo de uma temporada, chegando a 342 minutos (cinco horas e 42 minutos de jogo) com mais um (por vezes, dois) jogador em campo. O que corresponde a 13 por cento do tempo total da competição. E Fucile foi o 17.º jogador adversário a ver o cartão vermelho em partidas do líder.»

 

João Querido Manha

in Record, 04/05/2010

(retirado daqui)

 

Na realidade, após a expulsão do Fucile, na 29.ª jornada, ainda haveria de ser expulso na derradeira ronda, o Wires, do Rio Ave, aos 11 minutos de jogo.

 

Portanto, foram mais 79 minutos a jogar em superioridade numérica, perfazendo em total de 421 minutos (sete horas e um minuto de jogo), o que corresponderá a 15,5 por cento do tempo total da competição.

 

Pura sorte, claro está.

 

Sorte também é que das trinta partidas da edição da Liga de 2009/2010, sete foram arbitradas por dois árbitros: Lucílio Baptista e João “pode vir o João” Ferreira.

 

Sorte que um destes árbitros, para além de ver o seu nome para sempre associado a uma Taça, da égide da Liga de Portuguesa de Futebol Profissional, por motivos bastamente consabidos, ainda teve participação meritória num jogo que nos disse respeito, autorizando um golo na mais perfeita ilegalidade.

 

Sorte ainda foi a falta inexistente que assinalou no desafio dessa mesma equipa contra a Naval 1.º de Maio, que deu origem ao único tento, o da vitória, para sua grande fortuna.

 

Sorte foi a expulsão, pelo outro daqueles árbitros, de um jogador do Marítimo – o Olberdam, no caso – por insultar um colega de equipa.

 

Estes, entre outros pormenores fortuitos, que não vale a pena agora aqui esmiuçar.

 

Muita sorte mesmo. Mas desiludam-se os que pensam que tanta sorte assim, não dá trabalho.

 

Por detrás de tamanha sorte há com certeza, muito trabalho do bom e do árduo.

 

Muito trabalhinho, sem dúvida.

 

…feito pelo outro lado!

 

 


Nota: Depois dos dois últimos textos do Jorge, no Porta 19, até parece mal vir com este tipo de discurso. Mas o que é que querem, a memória é meio caminho andado para a azia, e ainda não engoli aquele terceiro lugar, ainda que depois, tenha dado azo à conquista da Liga Europa.

 

É assim, nem todos podemos ser tão magnânimos com certas coisas, como o Jorge, ainda que reconheça que lhe assiste toda a razão deste Mundo.

sinto-me:
música: I should be so lucky - Kylie Minogue
publicado por Alex F às 18:22
link do post | comentar | favorito
|

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds