Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2013

Nome de código: Operação Federação

Lisboa, 06:57 (ow six hundred hours and fifty seven minutes, local time)

 

A coberto do lusco-fusco matinal, o comando de assalto das maléficas forças do norte, toma posição num edifício defronte do n.º 58 da rua Alexandre Herculano.

 

Lisboa, 07:00 (ow seven hundred hours, local time)

 

Go, go, go, go, go. Operação em curso.

 

 

Lisboa, 07:23 (ow seven hundred and twenty three minutes, local time)

 

Operação concluída com sucesso, dentro do horário pré-estabelecido. Bute aí emborcar uma ginjinha no Terreiro do Paço.

 

Sem falhas, OKilled! Perfeição total.

 

"Assalto bizarro à sede da Federação Portuguesa de Futebol"

 

Foram subtraídos com uma precisão tão cirúrgica como as faltas do Matic ou do Maxi Pereira, apenas os computadores do presidente e da sua assistente.

 

“Que aprendam alguma coisa com os dados a que tiverem acesso” – é o desejo expresso pelo presidente, que acrescenta:

 

“Não sei, nem me interessa, quem terá encomendado este crime. Mas posso dizer a essas pessoas que o fizeram que as estratégias de intimidação ou tentativas de me desviar do meu objectivo de lutar por um futebol cada vez melhor não surtirão qualquer efeito”.

 

Aqui começam as questões e as dúvidas existenciais:

 

“Crime encomendado”? Se é crime, e ainda por cima, encomendado, então interessa e muito, saber quem o encomendou. Como se fosse preciso.

 

Porém, as autoridades competentes estão em campo. Descansemos então.

 

Não consigo. A quem poderá interessar este crime? Que processo tão importante estará para ser decidido brevemente?

 

Os das equipas B do Sporting e do Marítimo, e de outra equipa foram arquivados em inquérito.

 

O SC Braga queixa-se de que, no seu caso, nem inquérito foi aberto.

 

Há mais alguma coisa por decidir? Algo que devia estar decidido e encerrado à coisa de uma semana atrás?

 

 
 

Haverá por aí algum receio de que sejam contrariados os instrutores do processo?

 

Ou será que tudo isto não passa, desde o início, e sendo o início a utilização irregular dos jogadores, de uma maquinação arquitectada pelas maléficas forças do norte, fazendo uso do seu consabido poder de antecipação, para adiar para data mais aprazível, a meia-final da Taça Lucílio Baptista, troféu em falta no seu historial, e que desejam desesperadamente possuir?

 

Reparem que a dita meia-final, correndo tudo conforme o programado, cairia a 27 de Fevereiro, e que antes, o FC Porto recebe no Dragão o Rio Ave, a 23 de Fevereiro, e depois, desloca-se à Calimeroláxia a 3 de Março. É para o puxadote, não é?!

 

Terão pensado nisto os teóricos das conspirações?

 

É que se procuram outra coisa, convirá ter presente que, nos dias que correm, ao contrário do que aconteceu noutras épocas, denúncias anónimas são lixo.

 

Esta trampa é toda tão basicamente estúpida, tão surreal, que não dá para levar a sério. Só mesmo num país de Paulos Pereiras Cristóvãos, de presidentes que levam DVDs sobre árbitros e arbitragens a Secretários de Estado, e onde as coisas se fazem pelo outro lado. 
sinto-me:
música: Mission Impossible Theme - Danny Elfman
publicado por Alex F às 13:21
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De penta1975 a 12 de Fevereiro de 2013 às 17:28
« Esta trampa é toda tão basicamente estúpida, tão surreal, que não dá para levar a sério »

mas é para ser levada a sério, Alex. e por quem de direito.
se as notícias mais recentes* sobre o imbróglio em causa estiverem correctas, parece que continuaremos em jogo. mas o catedrático em Direito do Desporto acha que não será bem assim, pelo que já não sei...

mesmo assim, espero que o nosso FC Porto dê a resposta cabal: se se mantiver em prova, que a consiga vencer e a deite no contentor do lixo mais próximo.
e que, na próxima época, se houver competição (que duvido, pois toda a sua credibilidade caiu por terra), que se apresente com os juniores em todos os jogos.

abr@ço
Miguel | Tomo II
De penta1975 a 12 de Fevereiro de 2013 às 23:43
esqueci o mais importante (pelo menos, para mim):

obrigado! pela referência ao meu estaminé, no texto (em jeito de hiperligação) :D

abr@ço
Miguel | Tomo II
De Alex F a 13 de Fevereiro de 2013 às 09:45
Não tens nada que agradecer. Não compro jornais desportivos, e o Tomo II é a minha fonte de inspiração no que toca a assuntos relacionados com papel para forrar fundos de gaiolas de periquitos.

Logo, eu é que te agradeço pelo serviço prestado à comunidade, e peço desculpa pela referência não ter sido mais explicita.

Abraço
De Alex F a 13 de Fevereiro de 2013 às 09:43
Bom dia,

Quando digo que não se pode levar a sério, o que quero dizer é que a resposta tem de ser dada onde a temos dado, e com bastante sucesso: em campo.
O resto, é conversa. Ainda que não me importasse nada de ver uma resposta do clube.

Dúvido que nos mantenham na Lucílio Baptista. E também, para tão pouco, decidirem a nosso favor, e voltar a ouvir o arrazoado do costume, do sistema, e tal, e tal...não sei se compensa.

A haver nova edição, dificlmente poderemos alinhar só com juniores. O que não era má ideia, mas só se alterarem as regras, porque há aquela obrigatoriedade de entrarem na equipa,não sei quantos jogadores que estiveram na ficha de jogo do último jogo da equipa principal.

Abraço

Comentar post

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.posts recentes

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

. A merda, segundo o padrão...

. Um treinador de gestão

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds