Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2013

Eu, treinador…

"Não vos posso dizer quem joga a lateral esquerdo. Nem a equipa sabe. O coletivo vai dar uma boa resposta. A equipa não vai sentir a falta de ninguém, apesar de estarmos a falar de dois jogadores com o ritmo competitivo excelente»

 

Terá respondido Vítor Pereira, quando confrontado pelos jornalistas, com aquele que será (ou talvez não!) o grande dilema na constituição do onze, que irá defrontar no sábado o Rio Ave.

 

Não é muito o meu hábito, pelo menos neste terreiro, bitaitar sobre esse tipo de questões. Pelo menos, à anteriori. É muito mais fácil criticar à posteriori

 

É compreensível que o nosso treinador não quisesse abrir o jogo, no entanto, como de treinador e de louco, todos temos um pouco, resolvi tentar dar uma ajudinha, e cheguei a três hipóteses:

 

 

Your obvious choice

 

Quiñones. A escolha óbvia. Esta é daquelas, como se costuma dizer, trigo limpo farinha Amparo. Passe a publicidade, não paga, óbvia e infelizmente.

 

Com o Maicon recuperado, e de tal maneira a roer as unhas, ansioso para recuperar o seu lugar, que até marca golos do meio-campo, é a evolução, que se espera natural de um jovem que alinha pela equipa B.

 

Duas trocas directas: um central, por um central, Mangala por Maicon, e um lateral-esquerdo por um lateral-esquerdo, Alex Sandro por Quiñones. O risco maior, quiçá o único, será a inexperiência deste último.

 

Por via das dúvidas, é espetar-lhe o Varela à frente, que tacticamente, sempre será o extremo mais dado a tarefas defensivas. A contrabalançar com a entrada do James para o lado contrário.

 

Mais lá para a frente na partida, podem sempre entrar o Atsu e o Ismaylov.
 
 
 

Será que o Maicon também joga a lateral-esquerdo?

 

Pronto, agora aqui começam os devaneios de quem não joga “Football Manager” há muito, muito tempo.

 

O rapaz tem duas pernas, não tem? E já revelou uma surpreendente capacidade de adaptação à posição de lateral, não revelou?

 

E se em vez de o pormos ao centro ou à direita, o espetássemos na ala canhota?

 

Trocar o Danilo, que já está a jogar contrariado a lateral-direito, para o lado esquerdo, não me parece boa ideia.

 

O Otamendi, por sua vez, jogou a lateral na selecção das pampas, com o Maradona, mas, que eu saiba, sempre do lado direito.

 

Porque não o Maicon? Que tipo de implicações é que isso acarretaria?

 

Teria de jogar o Abdoulaye a central. Bem sei que do lado do Rio Ave, não vai estar presente o homem que substitui ultimamente o João Tomás, o egípcio Hassan. O João “pode vir o João” Ferreira, numa tentativa de comprovar que esse tipo de coisas também nos acontecem a nós, expulsou-o no jogo anterior.

 

Mas ainda lá estão o Bebé e o Del Valle, mais o “nosso” Ukra, que a bem dizer, ainda é o que de pé mais atrás me deixa.

 

Será um exagero três torres na defesa para estes três artistas. Ou outros quaisquer? Ainda por cima, num jogo em casa?

 

Talvez, admito que sim. Olhando para os convocados para o jogo, vejo apenas três centrais, que seriam os que desta maneira entrariam no onze. Logo, se algo corresse mal com um deles, para resolver o caso teríamos que recorrer a qualquer um dos outros, e eventualmente, meter o Quiño, o que nos reconduziria à primeira hipótese.
 
 
 

A escolha “de treinador e de louco, todos temos um pouco”

 

O nosso faz-tudo do momento, Steven Defour.

 

O que é que acham? O homem que já foi seis, já foi oito, já foi sete, tem sido pau- para-toda-a-obra, de tal maneira que qualquer dia dispensamos o Fabiano, e pomos só jogadores de campo no banco de suplentes.

 

Diga-se que é uma hipótese tanto mais académica, apesar de estar convocado, e mesmo tendo treinado a 100%, quanto mais dados me faltam sobre a sua efectiva recuperação.

 

Nos tempos que correm, não dispomos no plantel de jogadores como o Rubens Júnior ou o Marek Cech, que tanto podiam jogar como defesas-esquerdos, como como médios, mais interiores desse mesmo lado.

 

O Defour é o que mais de parecido temos à mão.

 

É claro que não seria para alinhar propriamente a defesa-esquerdo. Imagino-o numa posição mais adiantada, mais sobre o meio-campo, e a cair sobre o Ukra, quando este pendesse para o seu lado.

 

Desvantagens desta opção:

 

O Fernando não está habituado a ter companhia naquela zona do terreno. Há trincos que parece que só rendem quando jogam sozinhos. Por timidez ou mau feitio, parece que precisam de espaço, tipo eucaliptos, e quando têm alguém próximo, a coisa não corre tão bem.

 

Estou a lembrar-me do Petit, sim, esse mesmo, que ainda é capaz de voltar a jogar na primeira liga, ou do Paulo Assunção.

 

Por outro lado, o Fernando, cada vez mais está a deixar de ser um mero seis posicional, e está a conviver mais e melhor com a bola no pé. Porra, até já faz assistências para golo! Por isso, talvez não fosse por aí o grande impedimento.

 

A outra desvantagem que antevejo, é que os vilacondenses têm alinhado com dois avançados, mais ou menos fixos, o Hassan e o Bebé, mais um extremo, por norma, o Ukra.

 

Jogando o Defour, quem marcaria quem, ainda que à zona? Danilo sobre o Ukra, os centrais, o Fernando e o belga sobre o Del Valle ou o Bebé, consoante aquele que lhes aparecesse à frente?

 

Ou seja, muito pouca diferença faria para um esquema com quatro defesas típicos.

 

Vamos ver qual vai ser a aposta do Vítor Pereira, mas algo me diz que, aproveitando o ambiente do Dragão, vamos ter a estreia do Quiñones

 

Sugestões meus caros, há por aí mais algumas? Dêem largas à vossa loucura...


Nota: Estava a acabar de escrever este texto, quando soube que afinal, o O Atsu se lesionou e é carta fora do baralho. Como tal, queiram esquecer se faz favor, a parte que lhe diz respeito.

 

Nota2: Apesar da expulsão, o Hassan afinal até está convocado. O Rio Ave ainda não foi notificado do castigo. Mau…isto está a ficar engraçado!
 

Querem ver que vai na volta, e nem com todos os bons esforços do João “pode vir o João” Ferreira, é desta que o clube que nos defronta vai deixar de utilizar um jogador por ter sido expulso na partida anterior!?

 

sinto-me:
música: Can I play with madness - Iron Maiden
publicado por Alex F às 13:40
link do post | comentar | favorito
|

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds