Quinta-feira, 10 de Outubro de 2013

O banzé do Josué

 

Ainda a malta estava a recuperar do choque anafilático que foi a expulsão do Maxi Pereira, e ainda não tinha tomado consciência plena de que o castigo irá ser cumprido para a Taça de Portugal, e que ele vai continuar a dizer presente em jogos da Liga, quando eis que nasce o "caso Josué".

 

Quando ouvi o Rui Santos, em directo na terça-feira à noite, asseverar com toda a certeza que o Conselho sei lá de quê da Liga ou da Federação, ia instaurar um sumaríssimo ao Josué, dei a coisa como um dado adquirido, tal foi a convicção com que o afirmou.

 

Ao longo da quarta-feira a coisa teve algum impacto. Apareceu na Rádio Renascença, em alguns jornais, e deve ter sido falada naqueles programas desportivos muito interessantes da televisão. Presumo eu, que não vi.

 

Os moralistas do costume vieram com a cantilena do costume, da cartilha do FC Porto, e etc. Os José Manueis Meirins apressaram-se a antever possíveis sentenças. "Três jogos"!

 

É claro que com um castigo desta ordem, o rapaz estaria obviamente, afastado do clássico contra o Sporting. Porra, nem era preciso tanto. Sendo o nosso próximo jogo para a Taça, bastavam dois jogos.

 

Na "Bola Branca", tiveram o discernimento de ir analisar a jurisprudência relativa a casos semelhantes. Houve o caso do Insúa, que tal como agora o árbitro não presenciou. Levou um sumaríssimo e dois jogos de suspensão. Perfeito.

 

Mas, azar dos azares, para os moralistas, houve também o caso Enzo Perez. Este, perfeitamente alheio à cartilha do FC Porto, também cuspiu num adversário, e castigo, népia.

 

Ou seja, estamos entre dois jogos de castigo, e zero, neste último caso, um bocadinho à semelhança do que também costuma acontecer com o treinador dos moralistas, que nunca, em tempo algum, algum árbitro viu fazer o que quer que seja, e nunca apanhou um sumaríssimo, ou foi suspenso preventivamente.

 

Quid juris?

 

Ainda que possa contrariar algumas opiniões abalizadas e muito válidas e respeitáveis, a meu ver, e para não trilhar ninguém, moralistas e melancias, o rapaz devia apanhar dois jogos de castigo, e nós devíamos jogar à Sporting nesta matéria.

 

Se o sumaríssimo sair rapidamente, se não sair, não será bem um sumaríssimo, mas mais um sumaríiiiiiiiiiissimo, e FC Porto não o contestar, o que, em princípio, suspenderia a eficácia do castigo, é natural que fique inibido de alinhar na Taça de Portugal.

 

 

Lembram-se do Rui Pastorício, e da primeira jornada da Liga? A nossa equipa B joga a 23 de Outubro contra o Tondela, e a A só defronta o Sporting a 27. Como, quase de certeza o Josué é elegível para a equipa B, tal como o Pastorício o foi, cumpre aí o segundo encontro de castigo, e está apto para o clássico.

 

Ou será que vão levantar agora as dúvidas e objecções que não levantaram antes?

sinto-me:
música: The chicken song - Spitting Image
publicado por Alex F às 23:16
link do post | comentar | favorito
|

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds