Sexta-feira, 7 de Maio de 2010

Morte ao mensageiro!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para quem não saiba, o rapaz de aspecto simpático que aparece na imagem é o Subcomissário Marco Almeida, da PSP do Porto, relativamente a quem, aproveito este bocadinho de tempo de antena que criei para mim mesmo, para render homenagem e manifestar a minha solidariedade.

 

Ao Subcomissário Marco Almeida, para os mais distraídos, foi dada a incumbência da representação daquela instituição, tendo sido o porta–voz que narrou as incidências da chegada em grande ao Estádio do Dragão, do autocarro da comitiva benfiquista.

 

Ora bem, o bom do Subcomissário Marco Almeida foi, ou poderá vir a ser a principal vitima dos acontecimentos que antecederam o jogo do Dragão. E porquê?

 

Como, na falta de mais alguém ou alguma coisa a que se atirar, fez muito bem questão de frisar o angelical Arcanjo Gabriel, insigne Director de Comunicação encarnado, o Subcomissário Marco Almeida cometeu esse insanável pecado de ter faltado à verdade, dizendo que o autocarro benfiquista não havia sido apedrejado na entrada para o Dragão.

 

Ainda que depois tenha vindo rectificar a primeira afirmação, uma vez que não dispunha na altura de todos os dados sobre os incidentes, e modificado a sua declaração para, que afinal teriam havido algumas pedradas, mas sem danos, e posteriormente, na posse de novos elementos, que teriam existido pedradas, que estas teriam provocado alguns danos, mas sem causar ferimentos.

 

Pode lá ser! Se o Kardec e o Aimar foram atingidos pelos estilhaços, uma declaração deste jaez é inaceitável!

 

Crucifique-se o Subcomissário Marco Almeida. Faça-se como noutros tempos, e mate-se o mensageiro.

 

Desconheço se o Subcomissário, que aparenta ser jovem, estaria ou não na calha para uma carreira promissora ou não. Se estava a contar com isso, pode dedicar-se à pesca. Acabou-se!

 

Este jovem cometeu, neste caso, o pior dos pecados: a falta de memória.

 

É grave ter dado voltas e reviravoltas, a tentar justificar-se perante os factos ocorridos? É.

 

É grave que tenha feito aquelas afirmações sem ter cuidado de obter antecipadamente todos os dados sobre a matéria? Claro que é.

 

Pior que isso, é gravíssimo ter apresentado uma versão dos acontecimentos diferente da vox benfiquista.

 

Mas nada disso se compara com o ter esquecido, talvez apenas por uns breves instantes, que o seu patrão, o Ministro da Administração Interna, foi o Presidente da Comissão de Honra do Presidente do Benfica, nas últimas eleições deste clube.

 

Pode ir já metendo a requisição do bloco de multas… 

Para quem não saiba, o rapaz de aspecto simpático que aparece na imagem é o Subcomissário Marco Almeida, da PSP do Porto, relativamente a quem, aproveito este bocadinho de tempo de antena que criei para mim mesmo, para render homenagem e manifestar a minha solidariedade.

 

Ao Subcomissário Marco Almeida, para os mais distraídos, foi dada a incumbência da representação daquela instituição, tendo sido o porta–voz que narrou as incidências da chegada em grande ao Estádio do Dragão, do autocarro da comitiva benfiquista.

 

Ora bem, o bom do Subcomissário Marco Almeida foi, ou poderá vir a ser a principal vitima dos acontecimentos que antecederam o jogo do Dragão. E porquê?

 

Como, na falta de mais alguém ou alguma coisa a que se atirar, fez muito bem questão de frisar o angelical Arcanjo Gabriel, insigne Director de Comunicação encarnado, o Subcomissário Marco Almeida cometeu esse insanável pecado de ter faltado à verdade, dizendo que o autocarro benfiquista não havia sido apedrejado na entrada para o Dragão.

 

Ainda que depois tenha vindo rectificar a primeira afirmação, uma vez que não dispunha na altura de todos os dados sobre os incidentes, e modificado a sua declaração para, que afinal teriam havido algumas pedradas, mas sem danos, e posteriormente, na posse de novos elementos, que teriam existido pedradas, que estas teriam provocado alguns danos, mas sem causar ferimentos.

 

Pode lá ser! Se o Kardec e o Aimar foram atingidos pelos estilhaços, este tipo de declaração é inaceitável!

 

Crucifique-se o Subcomissário Marco Almeida. Faça-se como noutros tempos, e mate-se o mensageiro.

 

Desconheço se o Subcomissário, que aparenta ser jovem, estaria ou não na calha para uma carreira promissora ou não. Se estava a contar com isso, pode dedicar-se à pesca. Acabou-se!

 

Este jovem cometeu, neste caso, o pior dos pecados: a falta de memória.

 

É grave ter dado voltas e reviravoltas, a tentar justificar-se perante os factos ocorridos? É.

 

É grave que tenha feito aquelas afirmações sem ter cuidado de obter antecipadamente todos os dados sobre a matéria? Claro que é.

 

Pior que isso, é gravíssimo ter apresentado uma versão dos acontecimentos diferente da vox benfiquista.

 

Mas nada disso se compara com o ter esquecido, talvez apenas por uns breves instantes, que o seu patrão, o Ministro da Administração Interna, foi o Presidente da Comissão de Honra do Presidente do Benfica, nas últimas eleições deste clube.

 

Pode ir já metendo a requisição do bloco de multas…

 

 

sinto-me:
música: Gabriel - Lamb
publicado por Alex F às 14:28
link do post | comentar | favorito
|

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.posts recentes

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

. A merda, segundo o padrão...

. Um treinador de gestão

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds