Segunda-feira, 20 de Setembro de 2010

Medo! Tenham muito medo!

 

 

"Os rivais que estão lá em cima vão começar a olhar para trás, para nós, e vão tremer!" -  Jorge Jesus

 

Será mais um dos famosos monólogos do prof. Doutor Rei da Chuinga? Se é assim, só tenho (quase) a certeza é de que não é um "Monólogo da Vagina"!

 

Vai na volta, dado o estado de vermelhidão latente, não sei se não será um sintoma de um qualquer S.P.M. (Síndrome Pré-Menstrual).

 

Mas, a sério. Quem é que vai tremer? O Sporting? O Paços de Ferreira? O SC Braga? A Académica? O Olhanense? O Vitória de Guimarães? O FC Porto? Quem?

 

O FC Porto, a Académica e o Vitória tremeram que foi o fartote que se viu…

 

E vão tremer porquê? Vão deixar alguma porta dos fundos aberta? Será alguma vaga de frio polar que por aí vem?

 

As correntes de ar são tramadas, mas atenção que ainda não veio o Verão de São Martinho, e pode complicar as contas!

 

Já agora, porque carga de água é que quem vai confortavelmente à frente, se vai pôr a olhar para trás, para quem tão tristes figuras faz? Sadismo?

 

Não me parece. No caso, acho que só mesmo por masoquismo o faria.

 

Para a frente é que é caminho. Para trás, como dizia o Pedroto, mija a burra!

 

É caso para dizer: “Presunção e água benta…”!

 

Imaginemos por absurdo, e no pior dos cenários, que o FC Porto perde na Madeira. Acontece a todos, não é verdade?!

 

Fica com seis pontos de vantagem sobre a equipa do autor de tão profunda reflexão, ou seja, tantos quanto aquela, no seu profícuo labor, e apesar da soberba da criatura, conseguiu até agora amealhar.

 

Olhar para trás para quê?

 

A ideia é ganhar, ganhar, ganhar, e não perder tempo a remirar por cima do ombro.

 

Compreende-se o momento de exaltação. É necessário motivar as hostes, e frases destas têm o seu quê de impacto, apesar de se revelarem tão ocas como quem as profere, ou quem se excita com elas.

 

Num ponto, porém, o homem deve ter razão: “ainda há muito frango para virar!”

 

O especialista em frangos é ele. Se o diz, acredito piamente!


Nota: Uma curiosidade. Na semana passada os sete cartões do Olegário condicionaram a agressividade da equipa, e não a deixaram jogar. Foi uma arbitragem tendenciosa, que tirou capacidade nos lances decisivos do jogo. Ontem, os seis cartões do Xistra, também exagerados, como não podia deixar de ser, parece que não!

 

Tiro o meu chapéu ao Olegário. Confirmou aquilo de que nos queixámos na época transacta. Efectivamente sabe da poda!

sinto-me:
música: Don't look back - Fine Young Cannibals
tags: ,
publicado por Alex F às 18:00
link do post | comentar | favorito
|

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds