Segunda-feira, 25 de Maio de 2009

E depois, queixem-se...

Do JN, de 22.05.2009:

 

 

“O Sporting, o Benfica e o penta
 
Não há clube como o Sporting. Dos três maiores do futebol português, é o único que consegue elevar à condição de trunfo eleitoral um treinador que falha, sistematicamente, o principal objectivo da época. Isto para além de os sócios, aparentemente, se prepararem para manter a confiança num modelo de gestão que pouco ganha.
 
O valor de Paulo Bento não está em causa. Em quatro anos, conseguiu outros tantos apuramentos para a Liga dos Campeões, venceu duas Taças de Portugal e conquistou duas Supertaças. É pouco? Não. Chega? Para um grande, é insuficiente. Mesmo assim, poucos são os adeptos que arriscam criticar o percurso do treinador, ou a forma como o futebol tem sido gerido em Alvalade.
 
Pois bem, se o problema não é o treinador, são os dirigentes, mas restam poucas dúvidas que, na sucessão a Filipe Soares Franco, a continuidade vingará. E os apaixonados leoninos continuam tranquilos, embora, olhando para o passado recente, percebam que essa linha nunca os conduziu ao verdadeiro sucesso. Só pode haver um campeão, é verdade, e o F.C. Porto, nas últimas quatro épocas, não deu hipóteses à concorrência, mas espanta a forma como, em Alvalade, se transformam derrotas em vitórias, fazendo a festa do tetra segundo lugar ou da conquista de mais um título da Segunda Circular, como se estivéssemos perante um grande feito. A Champions é fundamental para a sobrevivência dos grandes clubes, pois permite o encaixe de muitos milhões de euros, mas não deixo de ficar surpreendido quando ouço notáveis de Alvalade defender[e]m que preferem dois apuramentos seguidos para a prova milionária, em detrimento de serem campeões um ano e ficarem fora da Liga dos Campeões no outro. Com a campanha eleitoral em andamento, estou convicto que pouco mudará no Sporting. As altas patentes leoninas continuarão, embora sem o assumirem publicamente, a encarar a qualificação para a Champions como o corolário de uma época satisfatória.
 
E como no Benfica, a linha de continuidade também vinga – a filosofia do “muda-se tudo” está enraizada, há um novo treinador prestes a entrar na Luz e sobram jogadores contratados para a próxima época -, arrisco dizer que, não obstante a temporada 2008/09, ainda não ter terminado, o F.C. Porto já segue, embalado, rumo ao penta”.
 
Vítor Santos
Editor-Adjunto
 
 
Sem comentários. Para quê?
Mais vale avançarmos já para a época de 2010/11, que o penta já está garantido. Os 30 jogos de 2009/10, são um mero pró-forma. Vai ser cá uma seca…
 
Agora a sério. Não conheço o autor, mas cheira-me a benfiquista desiludido, passe o pleonasmo. Então “[a] Champions é fundamental para a sobrevivência dos grandes clubes”?
 
No Benfica não se pensa assim, e já gastaram 7,5 milhões de euros no Ramires, estão em vias de gastar mais 3 milhões, para se verem livres do sobrinho da Lola Flores, e mais um milhão, para se converterem ao Jesus. E nem estou a contar com o Patric.
 

Então, de onde é que vem o dinheiro? Sr. Teixeira dos Santos, D. Maria José Morgado, isto não é nada convosco, pois não?

 

 

publicado por Alex F às 18:14
link do post | comentar | favorito
|

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds