Quinta-feira, 5 de Julho de 2012

Prémio “O Sexólogo com tomates de aço”

Rui Gomes da Silva, vice-presidente benfiquista e ex-ministro do Governo de Pedro Santana Lopes, conseguiu fazer com que corressem com o Marcelo Rebelo de Sousa da TVI.

 

O Sócrates não logrou nem “comprar” a TVI, nem asfixiar o “Sol”.

 

Para Carlos Magno, e para a ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social), a pressão exercida pelo ministro Miguel Relvas, sobre a jornalista do “Público”, terá sido “inaceitável”, ainda que a deliberação não o diga, mas não “ilícita”, pelo que saiu ilibado, e até ver, ileso o ministro.

 

Júlio Machado Vaz cometeu, entre outras, imaginem, a blasfémia de colocar no “Fundo”, da rúbrica “Topo e Fundo”, do “Trio d’Ataque” da RTPI, o Carlos Lisboa, e foi corrido do programa.

 

Melhor ainda. O seu lugar, será ocupado, nada mais, nada menos, que por João Gobern, o benfiquista imparcial, que se limitou a festejar em plena emissão um tento da sua equipa.

 

Por este episódio, bem se vê quem detém efectivamente os cordelinhos da televisão neste País.

 

 

 

Nunca apreciei muito os programas sobre sexo do Júlio Machado Vaz, tal como os da Marta Crawford. É cá uma teoria minha, que quem fala muito sobre o assunto, deve praticá-lo pouco, com a excepção óbvia do “sex talk” telefónico.

 

Mas, após este episódio, confesso que o elegi à categoria dos raríssimos benfiquistas pelos quais nutro algum respeito.

 

Para terminar, deixo-vos a anedota simpática e pouco malfazeja que inspirou o título do texto.

 

Dois compadres agricultores, podem ser alentejanos ou não, como quiserem, discorriam sobre as agruras do seu labor.

 

“Compadre, o raio das galinhas vão-me caminho das tomateiras, e dão-me cabo de tudo. Não consigo tirar um tomate de jeito”

 

“Ó homi, você vá à drogaria do Ti Manel Curvadinho, qu’ele tem lá uns tomates de imitação, em aço. As bichas vão lá debicar e partem o bico. Vai ver que nunca mais lá voltam”

 

O Ti Manel, “Curvadinho” de alcunha, era o dono da drogaria da terra. Um simpático ancião, a quem o passar dos anos indesejavelmente contemplara com uma protuberante corcunda.

 

Dito e feito, o homem dirige-se à drogaria.

 

“Ó Ti Manel, vossemecê tem tomates de aço?”

 

“Nã senhora, Mestre Chico. Atão você nã vê qu’isto é por modos da espondilose?!”

 


Nota: Bem sei que tinha dito que só voltaria dia 16. O que é que querem? Não resisti. Dez minutitos, são só dez minutitos…

 

Agora é que é. Desta vez é a sério. Até dia 16 (vamos ver...)!

sinto-me:
música: Let's call the whole thing off - F. Astaire & G. Rogers
publicado por Alex F às 18:45
link do post | comentar | favorito
|

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds