Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2015

A anormalidade normal

Comecemos, se calhar, pelo fim: não é normal o FC Porto perder em casa com o Marítimo.

 

Ainda menos normal é chegar a estar a perder em casa com o Marítimo por 0-3, e acabar por mitigar a derrota apenas com um golo, acabando por perder 1-3.

 

O facto de ter sido para a Taça Lucílio Baptista, a menos prioritária de todas as competições serve de atenuante, mass não deixa de não ser normal.

 

Não é normal, na primeira parte, com 0-0 no marcador, em casa, num jogo para a Taça Lucílio Baptista, com um onze repleto de jogadores menos utilizados e até da equipa B, os adeptos da equipa, que por acaso, até vai em primeiro lugar no campeonato, assobiem a sua própria equipa.

 

Não é normal num jogo em casa, em que a equipa ganha por 1-0, e com esse resultado passa para a liderança do campeonato, os adeptos assobiem uma substituição, que não corresponde aos seus anseios.

 

Não é normal que o treinador da Académica admita que a estratégia que montou para jogar no Dragão, passava por colocar os adeptos do FC Porto contra a própria equipa.

 

Não é normal que tenhamos chegado a este estado de coisas.

 

Não é normal que, mesmo os adeptos mais acérrimos defensores do treinador, aqueles cuja confiança inabalável em quem dirige há mais trinta anos os destinos do clube, leva a verem nele o homem certo no lugar certo, apenas por, supostamente ter sido escolhido por quem foi, de certeza que pelo menos por um momento, também eles já franziram o sobrolho perante as escolhas do treinador.

 

É claro, que pelo muito pouco que vou lendo em alguns blogues, ainda há quem o defenda, mas desconfio que é apenas na expectativa do título em Maio. Será talvez a única parte normal.

 

Não é normal o ponto a que chegou a saturação e a indiferença dos adeptos perante a equipa, a ausência de identificação com os jogadores e com o clube que conheceram, e que, quanto a mim, os leva, somado ao que leram acima, a instintivamente a reagir, assobiando a própria equipa.

 

Não é normal que quem dirige os destinos do clube, e o faz há mais de trinta anos, assista, aparentemente, impávido e serenamente, ao descambar das coisas até este estado de divórcio latente.

 

E menos normal ainda é que o faça, tentando manter a aparência de que afinal, tudo é normal.

 

Porquê?

 

IMG_20151230_231831.jpg

publicado por Alex F às 23:34
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Addams a 2 de Janeiro de 2016 às 18:54
O porquê é que ja hoje o Porto vai responder contra o scp e por esse clube sem humildade no seu devido lugar.

Mas para comentar os fracassos do treinador, ele nao quiz por o André Silva num jogo em que tinha todas as condições para o fazer e ainda por cima uma grande espectativa da massa associative (alma do clube) e depois poe no de inicio contra o Maritimo, num jogo em que ele prometia equipa forte.

Se isso não é gozar com os adeptos ...

O que vale é que em jogos grandes por vezes é que capaz de muito. Tera ele a capacidade de motivar os seus jogadores ?

Comentar post

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds