Terça-feira, 28 de Janeiro de 2014

É fodido, é fodido, mas compreensível

Quem como eu, tem ou teve miúdos pequenos em casa, compreende perfeitamente a reacção do presidente do Sporting, ao ver-se afastado da Taça Lucílio Baptista.

 

Os pedopsiquiatras explicam que as crianças têm uma fraca tolerância à frustração, e como não sabem como reagir doutra forma, expressam assim o que lhes vai nas suas pequenas alminhas de seres humanos em vias de desenvolvimento.

 

Os psiquiatras também dizem que estas situações são frequentes entre os dois e os quatro anos, e têm tendência para diminuir a partir daí.

 

Como os meus filhos têm cinco anos, apesar de revelarem um ligeiro atraso em relação a este prazo, as perspectivas, ainda assim seriam animadoras. Só que, de cada vez que o Bruno Carvalho abre a boca, percebo que afinal, poderá não ser bem assim, e a coisa pode arrastar-se até bem mais tarde.

 

Para mal dos meus pecados, como eu compreendo que o progenitor dele, com os seus oitenta anos, tenha problemas...

 

Deve ser sem dúvida frustrante perder assim. Deve ser frustrante estar a ganhar por 3-1, e o adversário directo a perder, ter o jogo controlado, praticamente abdicar de atacar, e de procurar o possível golo da tranqulidade, queimar tempo com uma derradeira substituição, e o adversário, esse cabrão de merda, virar o jogo, quando o nosso já acabou, e não há nada a fazer.

 

Deve ser frustrante procurar justificar uma eliminação por um desfasamento entre o apito inicial de duas partidas, que nunca terminariam em simultâneo.

 

Pois se o próprio cabrão do adversário do adversário, a partir do momento em que se apanhou à frente no marcador, se dedicou a queimar tempo, e ainda por cima, nem se apercebe que o atraso dos outros foi propositado...

 

É que nem o tempo de compensação, dado a menos pelo árbitro, serviu para alguma coisa. Excepto casualizarem-lhe mais um talho, claro está. Frustrante.

 

 

 

Quase tão frustrante como a tentativa de fazer um brilharete com o "intensómetro", sem sequer perceber que, naquele caso, melhor seria utilizar o argumento da famosa "falta-que-começa-fora-da-área-mas-a-queda-dá-se-lá-dentro", e guardar o "intensómetro" para explicar o penálti que ficou por marcar a favor do adversário, esse sim, por um empurrão descarado. Ou nas grandes-penalidades não assinaladas contra a sua equipa na jornada anterior.

 

Então, e que dizer da frustração do golo que fez a diferença no apuramento, ter sido marcado em fora-de-jogo? Depois de começar a Liga a ganhar com golos obtidos em situações irregulares em jogos consecutivos, macacos me mordam que essa merda, logo agora se haveria de virar contra nós!

 

Bem, pior do que tudo isso, só mesmo ter uma entrada em cena de leão, numa autêntica postura de desafio ao establishment, seja lá isso o que for, arranjar carradas de motivos para protestar, acumular um capital de queixar, maior que o IRS que as finanças nos roubam, acusar tudo e todos, ou melhor, preferencialmente um, e sempre o mesmo, ter ideias, apresentar propostas, e acabar a época...sem ganhar porra nenhuma.

 

Eh pá, isso que é mesmo frustrante. Fodido mesmo, diria eu.

 

É certo que, pela parte que me toca em matéria de frustração,  também é frustrante ver uma defesa levar dois golos, e de uma equipa que jogou sem os seus melhores marcadores.

 

No entanto, não partilho a frustração geral de nos termos visto em palpos de aranha para derrotar a equipa B dos guardanapos. Quando um treinador já utilizou, no que vai de temporada, qualquer coisa como 28 jogadores, num exercício de rotatividade que mete a um canto o "body count" dos "Ases pelos Ares", tenho alguma dificuldade em situar se se trata da equipa B, da C, ou da D. O que é óptimo. Sempre é menos uma frustração.

sinto-me:
música: Baby don't cry - INXS
publicado por Alex F às 23:36
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De penta1975 a 29 de Janeiro de 2014 às 01:35

@ Alex

bem aparecido!, meu caro.

já tinha saudades destes bitaites. que prazer de leitura. tudo certinho e direitinho, "como manda a sapatilha" :D

numa palavra: t-o-p-!

ps:
a sugestão musical ficava melhor servida com esta malha (um clássico).
é só a minha opinião, apesar de ser fã dos srs. australianos :D

abr@ço
Miguel | Tomo II
De Fernando Kosta a 29 de Janeiro de 2014 às 10:17
Lindo! Magnífico, como sempre!
Que à pena nunca falte a tinta!
Um abraço!
De Alex F a 29 de Janeiro de 2014 às 13:55
@Miguel,
@ Kosta,

Obrigado meus Caros. Vocês estragam-me com tanto mimo ;)

Vai-se fazendo o que se pode, é verdade que ultimamente não tem sido muito. Dias melhores virão.

Abraço a ambos
De Azul Dragão a 29 de Janeiro de 2014 às 19:44
O menino bruninho anda com muita pressa ...
Qualquer dia bate de vez !


Abraço

Comentar post

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.posts recentes

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

. A merda, segundo o padrão...

. Um treinador de gestão

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds