Segunda-feira, 3 de Fevereiro de 2014

Elogio da barbárie

E agora Leonardo? Quando no Domingo terminou a partida do teu clube, por volta das oito horas da noite, a nossa ressaca durava à praticamente 25 horas, e nos teus vizinhos do lado, os festejos por nos ganharem um ponto, apesar de terem perdido dois, levavam já 23 horas.

 

E nem assim Leonardo, foste capaz de derrotar a Académica do Sérgio Conceição.

 

Percebes agora que aquilo que andas a apregoar, essa tua preocupação com os atrasos nas últimas jornadas do campeonato, não passa de uma treta?

 

Pois é Leonardo, eu sei que até és um gajo inteligente, e que sabes perfeitamente que, muito mais importante do que os horários a que começam e terminam os jogos, é os envolvidos nas disputas darem o seu melhor para vencê-las.

 

Sem isso, podes começar e acabar à hora que quiseres, que não ganhas nada. Viste-o ontem, não viste? Também já o tinhas visto aquando da Taça Lucílio Baptista, mas aí recusaste-te (e, pelos vistos, continuas a recusar!) a aceitá-lo.

 

Se não houverem Calabotes ou patranhas pelo meio, como a de Sábado em Barcelos, desde que todos dêem o seu melhor, não há nada a apontar a quem quer que seja.

 

O problema é quando isso não acontece. Já aconteceu até em Mundiais, e por isso, e apenas por isso, esta história dos jogos começarem todos ao mesmo tempo. Para evitar arranjos e combinações em que alguém se predisponha a perder propositadamente a favor de outrém.

 

Achas que foi isso que aconteceu no nosso jogo do Dragão contra o Marítimo?

 

Parece-te que o FC Porto ou o Marítimo alteraram aqueles que seriam os seus comportamentos expectáveis, apenas por ser conhecido, com três minutos de antecedência do apito final, o resultado do teu clube?

 

Ora, se bem te lembras, o Marítimo até se apanhou à frente no marcador, e o que fez?

 

Entrou pela via do anti-jogo, como se tivesse algo especial para demonstrar. De tal maneira que foi o último a entrar em campo na segunda parte, e foi por assistências a homens seus, que o árbitro teve de prolongar o jogo, ainda assim menos do que devia…

 

Esperavas que o FC Porto, a perder em casa, se ficasse? Nos dias que correm, não digo que não, mas apenas por impotência, e nunca por opção.

 

Pois é, como dizia um colega meu sportinguista, é uma “questão de princípio”, se está no regulamento é para cumprir.

 

Seja. Concordo. É claramente o princípio que nos separa da barbárie de outras modalidades.

 

Não sei se és apreciador de desportos automóveis, mas já deves ter ouvido falar da Fórmula 1 e do Mundial de Ralis?

 

Como deves saber, na F1, para determinar a posição de partida de cada piloto, há qualificações e, uma vez estabelecida a grelha de partida, saem todos ao mesmo tempo, e que vença o melhor.

 

 

E do rali da tua terra, o Rali Vinho da Madeira, já ouviste falar?

 

Não conheço a tua ilha, se é que és mesmo madeirense, mas não consigo imaginar o cortejo de carros a passar quase em simultâneo pelas vossas estradas. Não sei por quê, não me soa.

 

Nos ralis, como deves saber (e nos contra-relógios do ciclismo, também), o que acontece é que os pilotos partem cada um de sua vez, e cada um corre sozinho.

 

Que barbaridade! Como é possível? Mas assim, os que saem depois ficam beneficiados, pois já sabem o tempo dos anteriores!

 

Pois é. Sabes porque é que é possível? Porque estes bárbaros se dedicam a dar o melhor que podem. Todos eles, independentemente da posição de que partem, e de partirem antes ou depois uns dos outros.

 

É estúpido, não achas? Deviam era começar todos ao mesmo tempo. Se isto é uma questão de princípio, e não de estupidez!

 

Olha, nesta matéria vejo-me forçado a concordar com aquele pateta platinado, que um dia disse que o que interessa não é como “isto começa, é como acaba”.

 

Por isso Leonardo, deixa lá os arremedos de populismo bacoco para o teu presidente, e não te consumas com o que vai acabar por acontecer inevitavelmente no final do campeonato.

 

Tu não és burro, e por isso, não nos faças burros. Compreendemos que agora apenas te resta pressionar quem decide, para tentares regressar à Lucílio Baptista, mas deixa-te lá de coisas.

 

Da maneira como isto nos vai correndo, mais vale que não desbarates a boa onda de que (ainda) gozas entre os adeptos portistas, que nunca se sabe.

 

Quantos contratos é que cumpriste até ao fim, nos últimos tempos?

sinto-me:
música: The Race - Yello
publicado por Alex F às 20:15
link do post | comentar | favorito
|

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

.posts recentes

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

. A merda, segundo o padrão...

. Um treinador de gestão

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds