Terça-feira, 12 de Maio de 2015

Porquê Bernardino?

hqdefault.jpg

 

"90 Minutos à Porto" de ontem.

 

Bernardino Barros, para demonstrar a bondade do trabalho feito na temporada, pergunta onde estavam na época passada Casemiro, Óliver Torres e Tello, e quanto tempo jogaram.

 

Conclui que os jogadores cresceram e valorizaram-se. Cândido Costa concorda, e acrescenta que não só os jogadores se valorizaram, como também o treinador.

 

Bernardino Barros diz que não quer ir por aí. Mas porquê Bernardino? Porque não ir por aí? Por acaso não será verdade?

 

Alguém que chega do nada, bem, não exactamente do nada, mas das selecções jovens espanholas, do Castilla e do scouting madridista, e que, sem ganhar nada, é dado como possível sucessor de Carlo Ancelotti, no Real Madrid, ou como hipótese para a AC Milan, a par do Ancelotti, outra vez, do pateta platinado e de Unai Emery, valorizou-se ou não?

 

Relembro apenas que Ancelotti conquistou só três Ligas dos Campeões, que ao pateta platinado, Lopetegui não conseguiu ganhar mais do que um ponto, e que o Unai Emery é o detentor da Liga Europa, para cuja final caminha novamente a passos largos na presente edição.

 

Lopetegui chegou aos oitavos-de-final da Champions, e teve na vitória sobre Bayern de Munique, um one hit wonder que aparentemente, o catapultou para a estratosfera dos treinadores.

 

Valorizaram-se os jogadores, valorizou-se o treinador. Ganharam, ou vão ganhar os clubes que emprestaram aqueles jogadores, vão ganhar os fundos e os investidores, que são donos de partes de passes de outros.

 

Ganha com a sua valorização, o empresário do treinador, que é Jorge Mendes.

 

E tudo isto sem que o clube conquiste um único título.

 

No entanto, os adeptos também ganham. Ou querem convencer-nos disso. Moralmente são vencedores, porque este foi um campeonato roubado pelos árbitros e pelo colinho. São vencedores porque estatisticamente, as coisas até não correram mal.

 

Porque o percurso europeu foi bastante bom e foram ganhos muitos milhões, porque se recuperou prestígio (esta, não a compreendo muito bem, mas também entra no rol, porque já a vi escrita por aí!), porque a equipa melhorou em relação à temporada passada. Piorar, também, era difícil, mas enfim…

 

Os outros, os que vão ganhar títulos, obviamente que também ficam contentes.

 

Vão ser bicampeões, algo que já não atingiam há trinta anos e preparam-se para cantar d’alto. Vão alcançar mais um triplete inédito, juntando ao campeonato, a Supertaça e a Lucílio Baptista. É o investimento de Peter Lim e Jorge Mendes, outra vez, mas desta vez, do outro lado, a render.

 

Até os que nem juízo ganham, este ano vão ter a possibilidade de molhar a sopa, se o Sérgio Conceição não lhes fizer a desfeita na Taça de Portugal.

 

Ou seja, é win-win-win-win e mais win, all over. Parece um rescaldo eleitoral.

 

Com jeitinho, ainda alguém é capaz de chegar à conclusão de que tudo isto não passou de uma congeminação pintocostista: deixar o pateta platinado ganhar o bicampeonato, para desamparar a loja, de uma puta de uma vez por todas.

 

E assim sendo, é mais um win garantido.

 

Um dia, mais tarde, talvez alguém se lembre de fazer uma daquelas contabilidades interessantes de títulos, e chegue à brilhante conclusão de que todos ganharam, mas na realidade, os troféus estão no Cosme Damião e no wc (a ver vamos!), e no by BMG está o minuto 92 do Kelvin.

 

Ainda assim, talvez concluam: melhor, menos trabalho para o pessoal que puxa o lustro às taças. E sai mais um win!

 

Mais salomónico do que isto, deve ser impossível. Nem o Salomão, ele próprio!

 

Só não percebo é porque é que o Bernardino Barros não quer ir pela valorização do treinador...

publicado por Alex F às 13:26
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De reinemargot a 12 de Maio de 2015 às 16:52
Caro Alex
acho que você tem de ir para férias... já não se entende o que pensa, quanto mais o que escreve... o post anterior deixou-me com muita comichão nos dedos, mas o tempo está de novo muito contado , passou, para este resolvi tirar uns minutos... não faço ideia porque o Bernardino não quiz ir por aí, provavelmente não gosta assim muito do Julen, e não quer ter de falar dele. Mas, as razões do Bernardino nada têm que ver com o restante artigo... vamos ao sul depois ao norte pelo interior leste, virámos à esquerda, e voltamos à questão principal, que - sinceramente - não se sabe qual é !
Porque, se o Alex suspeita porque o Bernardino não falou, porque não esclarece os seus leitores ? e vai direto ao assunto?

(andamos todos à roda e andar à roda não leva a nada!)


De Alex F a 12 de Maio de 2015 às 23:26
Olá Reine,

Antes de mais, obrigado pela paciência e pela preocupação com a minha necessidade de férias.

É um facto, ando a precisar de férias, e não é de hoje. Mas isso, poderá ser presunção minha, não interfere com a minha escrita ou com o meu raciocínio. Por enquanto.

O meu objectivo, confesso, não era provocar comichão nos dedos, mas antes nos cérebros.

Se ela lhe chegou aos dedos, de algum lado deve ter vindo, logo, é bom sinal.

Parece-me que o que me está a pedir é que eu una os pontos e conte o final da história. Lamento, mas não o posso fazer.

Primeiro, porque tirava o interesse à coisa e estragava o suspense. E depois, e principalmente, apenas porque NÃO SEI o final!

Para mim, na falta de outras, o Bernardino Barros é, pelo menos, uma voz semi-oficial do FC Porto. Se não, não estaria no Porto Canal, julgo eu.

Numa temporada em que eu, pessoalmente, enquanto portista, vejo o copo meio vazio, há portistas que o vêem meio cheio.

Como justificação da sua perspectiva, apontam todos aqueles argumentos que mencionei, e que levei ao exagero no caso dos últimos dois (a congeminação pintocostista e o lustro das taças).

De entre esses argumentos, que fazem com que o copo deva ser visto meio cheio está a valorização do próprio treinador. Penso que isso será inquestionável.

Se é assim, porque é que o Bernardino Barros, voz semi-oficial do FC Porto, e que também valoriza outros factores, quando toca ao treinador, prefere não ir por aí?

É essa a minha questão, para a qual não tenho resposta. Quando faço perguntas, muitas vezes estou apenas à procura de respostas, sem água no bico. É o caso.

Poderá ser como diz, o Bernardino Barros não gostar do Lopetegui, e não querer dar-lhe mais publicidade que a que ele já tem. Não sei, francamente, e prefiro não me pôr a adivinhar.

Porém, há coisas em que aquilo que vou vendo me dá uma perspectiva diferente de outras que vou lendo por aí.

Por exemplo, neste momento está instalada a crença na continuidade do Lopetegui, em nome da estabilidade, etc, etc.

Quanto a mim, tenho muitas, mas mesmo muitas duvidas que Lopetegui continue entre nós.

Para que isso aconteça terá a vida que correr extraordinariamente bem ao Ancelotti amanhã, e na final contra o Barça.

E mesmo assim, não deve ser suficiente. Teria ainda de acontecer quase um milagre, que seria o Florentino Pérez não conseguir convencer o Zidane a desistir da ideia de ser o próximo treinador do Real Madrid.

Aliás, se quer que lhe diga, tenho cá para mim que, muito do que se passou nesta época, teve a ver com o facto de ela ter sido gerida em torno desse objectivo: a valorização do treinador, para guindar-se a mais altos voos.

Agora, se isso tem alguma coisa que ver com a postura do Bernardino Barros, não sei. É apenas a minha leitura, e não é de hoje.

À medida que fôr tendo tempo, vou tentar acrescentar mais pormenores. Não quero que quem me lê fique tonto com tanto andar à roda...

Um Abraço

Comentar post

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

. A anormalidade normal

. Ser ou não ser, um apelo ...

.Facebook

.Let's tweet again!

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds