Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

Eu tenho dois amores*

 

Do esforço se faz a vitória,
que no tempo nos trará saudade,
duma página bela de história,
escrita p’la nossa vontade.

 
Com os olhos postos no futuro,
e a grandeza que o sonho nos traz,
mostraremos ao mundo as façanhas,
de que a gente de Faro é capaz.

 

Cantaremos todos numa voz,
à vitória Farense, à vitória,
içaremos a tua bandeira,
brindaremos em tua memória,
e para as gerações do futuro,
à vitória Farense, à vitória,
nunca mais murchará a semente,
do arrojo, da fama e da glória

 

Cantaremos todos numa voz,
à vitória Farense, à vitória,
içaremos a tua bandeira,
brindaremos em tua memória,
e para as gerações do futuro,
à vitória Farense, à vitória,
nunca mais murchará a semente,
do arrojo, da fama e da glória

 

 

Para que não restem dúvidas: sou portista. Embora nado e criado em Faro, clubisticamente, fui portista antes de ter noção real da existência do Sporting Clube Farense, enquanto clube de futebol.

 

Isto, apesar de no meu prédio morar um jogador do Farense, o Almeida, que, curiosamente também jogara no FC Porto, e que, por uma coincidência com que naqueles tempos eu nem sonhava, era pai de dois gémeos.

 

O Farense é o clube da minha terra, o único pelo qual joguei oficialmente (uma carreira brilhante no basquetebol, que o quase nenhum jeito não deixou ir mais além...), e o único do qual fui sócio, por isso, não deixa de ser também o meu clube.

 

É bem certo que temos andado algo desencontrados. Praticamente desde o advento da SAD que deixei de assistir a jogos no São Luís, parecia que adivinhava o que aí vinha a seguir...

 

Nem sei se ainda serei sócio, mas era o mil e qualquer coisa. Um dia, ainda hei-de confirmar. 

 

Para aqueles que estarão a pensar: "e como é que era quando o Farense jogava com o FC Porto", respondo: era complicado. Os jogos do FC Porto em Faro eram sempre quentes. E não estou a falar do clima algarvio!

 

A primeira vez que vi o FC Porto em Faro, foi num jogo para a Taça de Portugal, em que o Farense perdeu por 0-2.

 

Mas, foi um jogo especial. No Farense jogou a central o Viramilho (oficialmente, Virgílio), um filho do Alto Rodes, que raramente jogava, e no intervalo, o meu Pai, com umas "palmadinhas nas costas" e uns "favorzinhos", acompanhados de uns quantos "vá lá, senão o miúdo não se cala!", lá conseguiu introduzir-me no balneário.

 

Sai de lá com autografos do Freitas (um dos meus ícones, a partir daí), e do Fernando (ex-SC Braga, e que pouco jogou no FC Porto). E foram os únicos que estavam disponíveis! Os outros estavam a ouvir a "palestra".

 

Nesse jogo, de David contra Golias, fui Farense o tempo todo. Daí para a frente, acho que a história foi sempre a mesma.

 

Há muitos benfiquistas e sportinguistas em Faro. Então, costumava entrar no Estádio a torcer pelo Farense, mas, à medida que o jogo ia decorrendo, e que ia ouvindo os meus fervorosos colegas adeptos farenses (e do Benfica e do Sporting...), gritarem para partirem as pernas aos portistas, na falta de outra forma de reagir, acabava os jogos a torcer pelo FC Porto.

 

(o Domingos, actual treinador do SC Braga, sempre foi um dos mais visados. Vá-se lá saber porquê. Premonições..., talvez! E até o Rui Barros, não escapava. Como se alguém lhe conseguisse acertar nas pernas...)

 

O politicamente correcto "torcer pelo empate", nunca funcionou comigo...

 

Voltando ao que interessa:

 

Sou de FARO, sou FARENSE!

 

E aqui fica a minha homenagem ao SC Farense!

 

Um belo presente pelo Centenário que comemora...


(*) os amores a que se refere o título, são, obviamente, os futebolísticos!

 

Nota: as minhas desculpas ao Marco Paulo, pelo uso abusivo do título.

 

Nota2: não deixa de ser irónico que esta subida de Divisão, aconteça na época em que um clube que, tal como o Farense, também era devedor de importâncias consideráveis às Finanças, conseguiu permanecer na Divisão principal do futebol português à custa de certidões ilegalmente obtidas e da aceitação das acções da sua SAD, como garante dessas dívidas - coisa nem sequer cogitada no caso do Farense, mas também do Salgueiros, do Estrela da Amadora... - se sagrou campeão nacional.

 

 

 

 

 

 

música: The only way is up - Yazz
sinto-me:
publicado por Alex F às 13:33
link do post | comentar | favorito

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Coisas diferentes, talvez...

. O efeito Mendes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds