Terça-feira, 30 de Novembro de 2010

Comunicar, é preciso… (actualizado em 02.12.2010)

Comunicado da FC porto – futebol, Sad

 

Na sequência das ocorrências no final do encontro de ontem entre o Beira Mar e o Benfica e que, segundo relata a Comunicação Social, terminaram com ameaças e escolta policial a um jornalista da TVI, a FC Porto – Futebol, SAD não pode deixar de recordar um rol de comportamentos que têm um clube e uma pessoa como denominadores comuns e que configuram perfis dignos de um filme sobre «gangsters».


1 – Agressão à estalada a um amigo do guarda-redes Moretto em pleno Aeroporto de Lisboa;


2 – Agressões a um cidadão junto à Caixa Geral de Depósitos de Telheiras, na sequência de um estacionamento indevido;


3 – Desrespeito pelo trabalho de um jornalista e agressão a um repórter de imagem da RTP à saída de uma reunião com Hermínio Loureiro. Os relatos dizem ainda que um dos intervenientes pegou no microfone da estação e o atirou ao chão;

4 – Agressão a pontapé ao Team Manager do FC Porto, verificada em plena área técnica do Estádio da Luz e que, apesar do esforço de um dirigente para, previamente, desviar o foco das imagens, ficou inequivocamente registada;

5 – Invasão de um estúdio da SIC no decorrer de um programa em directo.

Todos estes factos, sublinhe-se, têm sempre o mesmo emblema associado. Foram amplamente difundidos nos Média e rapidamente esquecidos, ao mesmo tempo que revelavam a urbanidade, o estilo e, acima de tudo, a credibilidade de quem os praticou e/ou comanda.



Porto, 29 de Novembro de 2010


O Conselho de Administração

 

 

Comunicado da outra SAD

 

Esta segunda-feira
Comunicado da (…) SAD

Co Adriaanse
Luís Fabiano
Derlei
Paulo Assunção
Adriano
Rodriguez
Costinha
Raul Meireles
Matt Fish (basquetebolista)
Paulo Martins (RTP)
Pedro Figueiredo (RTP)
João Pedro Silva (RTP)
Marinho Neves (jornalista)
Fotógrafo do JN atropelado à saída do tribunal.

E mais um sem número de pessoas que optaram pelo silêncio!
A todos a nossa solidariedade!

  

 

 

Comunicar [do latim communicare] – Fazer saber, tornar comum; colocar em contato; ligar; unir; estabelecer relação.

 

 

 

Tornar comum, é o que o segundo comunicado pretende fazer em relação ao primeiro. No entanto, salvo a estupidez, comum a ambos, assim como com presença assegurada no motivo que conduziu à sua existência, só mesmo quem quiser é que vê algo de comum entre ambos.

 

E este “quem quiser” aplica-se a seis milhões menos uns quantos indivíduos, que quem dirige os destinos do clube que apoiam, quer, uma vez mais, fazer passar por papalvos.

 

Só mesmo quem estiver desatento é que não repara que no primeiro comunicado, quem quer que tenha perpetrado as agressões, em quatro dos casos, e irrompido pelo estúdio de televisão adentro, como diria o Palmelão, “vocês sabem de quem é que eu estou a falar”, está perfeitamente identificado, ainda que não mencionado.

 

No outro, ainda que tenham existido as agressões ou ameaças, que uma boa parte delas, não terão passado disso mesmo, se é que chegaram a tanto, os seus autores não são identificados.

 

Aventa-se que são membros de uma claque, por sinal até legalizada, ao contrário de outras, do FC Porto.

 

Assim como os indivíduos que ameaçaram árbitros eram, alegadamente, adeptos de um certo clube, tal como os que apedrejaram o autocarro do FC Porto e o automóvel do seu presidente, na deslocação ao Estoril-Praia, ou os que apedrejaram o autocarro do Vitória de Guimarães, próximo de Alverca, entre outras trapolias em que são pródigos, como diria o homem da PSP, destacado para Alvalade.

 

São adeptos, nuns casos identificados, noutros, nem tanto, mas ainda assim…

 

O clube e a pessoa mencionados no comunicado, são perfeitamente identificáveis.

 

A outra diferença relevante, é que no primeiro dos dois, não consta a menção dos nomes dos agredidos em parte alguma. No outro, certamente que os visados terão sido contactados e dado a sua anuência para que os seus nomes nele constassem.

 

Em resumo, se o comunicado da nossa SAD é estúpido, o do outro lado, não só é estúpido, como ainda faz de estúpido quem o levar a sério na sua intenção de equiparação ao primeiro.

 

Por estas e por outras deste género, caro Penta 1975, é que eu lamento desapontá-lo, mas acho que a questão da estupidez benfiquista não é subjectiva. A questão não é se nem todos os benfiquistas são estúpidos, ou se todos os estúpidos são benfiquistas.

 

O problema é o objecto da questão. O benfiquismo é que estupidifica.


Adenda: A pressa não é boa conselheira. De facto, depois de reler este texto, tenho que admitir que no primeiro comunicado, no ponto em que se fala do atropelamento de um fotógrafo do JN, o autor de tal acto também é facilmente identificável. A meu favor, o facto de que tal "atropelamento", não existiu, pelo menos com a gravidade que lhe querem atribuir.

 

Por outro lado, omiti e omitiu aquele comunicado, outras ameaças e agressões, que mereciam ali figurar. Então, e as ameaças ao José Mourinho, antes da final da Champions? E as agressões ao Ricardo Bexiga e à Carolina Salgado? Esqueceram-se? Ou só valem aquelas que não são desmentidas pelos tribunais? 

 

sinto-me:
música: Incommunicado - Marillion
publicado por Alex F às 18:03
link do post | comentar | favorito

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Coisas diferentes, talvez...

. O efeito Mendes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds