Sexta-feira, 4 de Maio de 2012

O passarinho, a merda, amigos e inimigos

Era uma vez um passarinho teimoso que habitava num país onde o inverno era rigoroso. Como era teimoso, resolveu ficar para trás ao invés de voar como os outros para o sul.

 

O inverno chegou e o passarinho viu-se acometido de uma valente hipotermia. Não conseguindo voar, caiu no chão e ficou à espera da morte.


Uma vaca que passava por ali ficou com dó do passarinho e defecou em cima dele merda quente o reanimou e salvou.


O passarinho aquecido começou a cantar de alegria. Porém, um gato que por ali passava, escutou o seu canto tirou-o da merda e comeu-o.


Morais da história.


Nem sempre aquele que te poe na merda é teu inimigo.

Nem sempre aquele que te tira da merda é teu amigo.

Portanto se estás bem na merda, mantém a o bico fechado.

 

 

Quando li n’ "Os Invencíveis Azuis e Brancos", que a juíza que determinou a ida a julgamento do Hulk, do Helton, do Cristián Rodriguez, do Fucile e do Sapunaru, pela agressão aos stewards no túnel do Estádio da Lucy, àquela altura Cesta do Pão, simultaneamente, comunicou o arquivamento do processo movido por alegadas injúrias de Sandro Correia aos jogadores do FC Porto, lembrei-me do excerto que acima reproduzi, e da história do passarinho.

 

Caso não tenham lido na altura, aquele bocado de texto, não a história do passarinho, é parte integrante do Acórdão, produzido pelo Conselho de Disciplina da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, dirigido pelo nefando Dr. Ricardo Costa, e que decidiu o processo disciplinar aplicado ao Hulk e ao Sapunaru.

 

Impressionante, não é?

 

A douta senhora doutora juíza bem pode arquivar o processo acessório relativo às injúrias, e apesar de parecer estapafúrdio, manter a qualificação das agressões para forma qualificada, mas será que irá ignorar esta magnífica conclusão oriunda desse génio jurídico que é o Dr. Ricardo Costa?

 

É essa a consideração que, à justiça civil, merece a justiça desportiva?

 

Será que é o ex-conselheiro João Carrajola Abreu quem tem razão? Iremos chegar à conclusão de que esta juíza perceberá tanto de justiça desportiva como de um lagar de azeite?

 

Então, e se optar neste caso por ignorar aquele acórdão, tão explicito e inequívoco, como é que vão ficar aqueles para quem a justiça desportiva, em mais do que um sentido, é o ai Jesus da verdade, da transparência e da incorruptibilidade? Continuará a ser só na justiça civil que os juízes são todos portistas desde pequeninos?

 

A ver vamos como se irá portar esta juíza, e quem haveria de nos dizer que, com certeza inadvertidamente, o Dr. Ricardo Costa, pôs-nos na merda, mas ainda é capaz de se vir a revelar um amigalhaço…

 

música: Bring on the dancing horses - Echo and the Bunnymen
sinto-me:
publicado por Alex F às 12:53
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Kostadinov a 4 de Maio de 2012 às 15:06
Excelente.
Bem enquadrado e bem apanhado. Nem me lembrei de ir rebuscar o acórdão que permitiu afastar Hulk por 90 dias. Estes tipos tem todo a mania que são mais "espertos" do que os outros. Largos dias tem cem anos.

Na verdade, o circo não para de nos surpreender diariamente com tantos números e actores artísticos. É um fartote de riso...
Força nas teclas e Allez Porto.
De penta1975 a 4 de Maio de 2012 às 15:17
o "kostadinov", como grande craque que é (foi), já escreveu tudo o que havia a comentar sobre tão brilhante post ;)

abr@ço
Miguel | Tomo II (http://tomoii.blogspot.com/)
De zé luís a 4 de Maio de 2012 às 16:55
Alex, caguei-me a rir com a história do (coitado) passarinho.

Quanto ao resto, não previa tal nexo de causalidade.

Contudo, não obstante, porém, acho de liminar justiça que se separe a Justiça de alguma coisa semelhante no campo desportivo.

Se aceitámos as reacções díspares da parte civil no tocante ao Pífio Dourado, devemos manter como boa essa separação e não privilegiar uma quando nos dá jeito.

Sendo assim, não incomoda nada um julgamento, a não ser mais um peso no erário público para uma coisa que nunca se fará, pois se lá chegarmos os jogadores já estarão longe e porventura reformados nas suas terras, sendo que, daí, entretanto, perder-se-á a possibilidade de se fazer Justiça, como devem pensar os homens de bem chegados a Tribunal.

Prefiro ficar com a estória do passarinho. O resto é merda.
De Alex F a 4 de Maio de 2012 às 17:32
@Zé Luís,

Meu Caro,

Não é minha intenção privilegiar neste caso a justiça desportiva, porque até daria jeito. Tal seria impossível de todo, até porque quem escreveu aquele trecho, apesar de o ter escrito, não se absteve de fazer a valoração que fez do papel dos stewards, enquanto agentes desportivos, e de aplicar o castigo que aplicou.

É todo o contrário. Quero é ver qual será a reacção daqueles que (sobre)valorizam a (in)justiça desportiva em detrimento da justiça à séria, caso a juíza, para desta vez decidir a seu contento, venha a ignorar aquele acórdão.

Quanto ao passarinho, nem a cobertura o safou do gato. Coitado! ;)

De Alex F a 4 de Maio de 2012 às 17:24
@Kostadinov,
@Miguel,

Muito obrigado Caríssimos,
A partir do momento em que li o Acórdão, nunca mais me consegui esquecer daquele trecho, e desde então, já o atirei por diversas vezes à cara de alguns benfiquistas, quando me vêm falar do túnel.
Espero é que sirva de alguma coisa na defesa dos nossos rapazes. Isto se chegarmos a tal ponto...

Comentar post

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Coisas diferentes, talvez...

. O efeito Mendes

. Quando uma coisa é uma co...

. O acordo necessário e a n...

. No limiar da perfeição

. In memoriam

. FC Porto 2016/2017 - Take...

. A quimera táctica do FC P...

. No news is bad news, (som...

. Poker de candidatos

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds