Sexta-feira, 18 de Maio de 2012

FC Porto 2012/2013 – The Next Generation (Adenda)

O texto anterior, "FC Porto 2012/2013 - The Next Generation", deu azo a um muito interessante comentário, por parte do Sérgio Bessa, um Portista da Caparica.

 

Comecei a responder com um comentário ao comentário, só que a coisa começou a ficar para o grandote. Então, resolvi transformá-la numa adenda ao dito texto, e simultaneamente uma resposta ao Sérgio Bessa.

 

Espero que não se importe, e desde já, agradeço pelo comentário que fez, que assim me permitiu, por exemplo, falar do Iturbe, de quem me havia esquecido. Cá vai.

 

 

Caro Sérgio Bessa,

 

Antes de mais, não há que pedir desculpas pela extensão do comentário. Da maneira como por aqui brotam os comentários, ainda não tinha sido atingida este mês a quota mensal. {#emotions_dlg.angel}

 

Quanto ao resto, vamos por partes, para eu (fundamentalmente) não me perder. Há aqueles jogadores que gostaria de ver pelas costas, não direi que a qualquer preço, mas quase, e esses são o Rolando e o Álvaro Pereira.

 

Os outros, se pudesse ficava com eles todos, mas em doses diferentes. O Otamendi, havendo uma boa, diria mesmo, excelente proposta, e substituto à altura, porque não? Para o Varela, quase o mesmo, mas o excelente até pode ser menos excelente. Em ambos os casos, só havendo ofertas reais, e não daquelas que são feitas através dos jornais.

 

Depois temos o Hulk e o Fernando. Por mim ficavam cá a o resto da carreira, só que…há que ser realista nestas coisas. Dado o comportamento de ambos, e embora o Givanildo tenha de certeza, mais mercado que o Polvo, surgindo a possibilidade, acho que merecem que não se lhes corte as pernas. Por muito que isso me (nos) custe.

 

O João Moutinho, acho que seria para ficar. Contudo, os ecos da Calimeroláxia aquando da sua transferência para o Dragão, a serem verdade, é claro, não deixam adivinhar nada de bom se ficar contrariado, não é? Aliás, isto aplica-se a todos, e é um dos motivos porque equaciono a possibilidade de tantas saídas: gajos contrariados, não, por favor! Nem por todo o dinheiro do Mundo.

 

A única excepção que abro a esta regra é para o James. Fica, e fica nem que o pintem de dourado. A não ser que batam o valor da cláusula de rescisão.

 

 

É verdade, esqueci-me do Iturbe. Ainda bem que alguém reparou. Para mim, porque é sinal que alguém se deu ao trabalho de ler o texto, e para o Iturbe, que a sua falta foi notada. Mal seria, para ele, se assim não fosse.

 

Vi jogar o Iturbe duas ou três vezes pela selecção argentina, e a opinião que tenho dele é a que formei desses jogos em que participou, um deles ainda por cima, em que só entrou na segunda parte.

 

Parece-me que constituiria uma alternativa válida ao Lucho, para fazer aqueles trinta minutos finais dos jogos, para os quais o El Comandante já não tem pedalada.

 

Vi-o sempre a entrar prioritariamente pela meia-esquerda, fazendo aquela posição a que chamavam nos tempos do 3x2x5, de “interior”, ao passo que o Lucho cai mais para a direita. Não me parece que isso seja problemático.

 

Ganhando alguma rodagem, talvez se adapte a jogar à linha, mas é, claramente, menos extremo que o James, por exemplo.
 
 

 

Quanto ao miúdo Kelvin, acredito que é capaz de surpreender muita gente, se tiver oportunidade para isso.

 

O Atsu é mais jogador, sem dúvida. O outro é mais “brinca na areia”, mas tem pelo na venta. É atrevido e não tem receio de ir para cima do adversário. Uma espécie de Quaresma em formação, mas ainda com um bastante razoável deficit de objectividade. Acho que esse, e eventualmente a componente física, ainda que essa valha o que vale, serão as suas lacunas.

 

A permanência entre a gente graúda, e acima de tudo no Dragão, para sentir o cheiro à casa, far-lhe-ia bem. Que mais não fosse até Janeiro.

 

Dito isto, as saídas que dou por adquiridas serão apenas as do Rolando e do Álvaro Pereira. As prováveis serão as do Hulk e do Fernando, mais do primeiro que do segundo.

 

Otamendi e Varela, se saírem, não vou chorar baba e ranho, e o João Moutinho (e outro qualquer, excepto o James), se for para ficar contrariado, prefiro que saia.

 

É isto, independentemente do dinheiro que possamos fazer com a venda, para além de algumas das joias da coroa, de mais uns quantos pesos (semi) mortos.

 

E siga p'ra Tri!


Nota: Estou curioso. O que será que os colegas do BiTri irão fazer quando conquistarmos o tri? Será que vão mudar de nome para TriTri? É que não basta parecer um grilo, soa um bocado abichanado, não soa? {#emotions_dlg.blink}

música: Money - Pink Floyd
sinto-me:
publicado por Alex F às 13:23
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. FC Porto 2012/2013 – The ...

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds